segunda-feira, 24 junho, 2024
IA e a Medicina

A historicidade da Bíblia nos relata que após o Dilúvio Deus abençoou Noé e seus filhos, e lhes disse: “Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra”; porém, ao se multiplicarem, vindo do oriente, deram com uma planície na terra de Sinear e ali habitaram. Em toda a terra só havia uma linguagem. Então, decidiram não obedecer a ordem de Deus para que se espalhassem pelo mundo. Edificaram uma cidade e ali começaram a construir uma torre muito alta, a Torre de Babel, cujo topo chegasse até aos céus, e, assim, se tornariam célebres sem necessidade de se espalharem pela terra. Deus sentiu a soberba daqueles homens em desafiá-Lo, e disse: ”Eis que o povo é um, e todos têm a mesma linguagem. Isto é apenas o começo: agora não haverá restrição para tudo que intentam fazer”. Deus os castigou confundindo a sua linguagem, e por não mais se entenderem foram espalhados por toda superfície da terra. O que aconteceu lá é o mesmo que, hoje, acontece aqui.
A inteligência artificial, somada ao progresso da ciência e da tecnologia, está deslumbrando o mundo com descobertas avançadas que permeiam o setor da educação, da saúde, da política e da economia, abrindo caminhos novos nunca antes imaginados. A rede social conectada a internet nos tornou uma aldeia global de uma única linguagem em todos os campos do conhecimento humano. Deus derramará a sua ira sobre este mundo, não por causa do seu progresso, mas por causa da arrogância, do orgulho e do engano do homem, como foi descrita na história da Torre de Babel na antiguidade, que pelas suas mãos, através dos recursos tecnológicos e científicos, pode suprir todas as necessidades físicas e psicológicas do ser humano, como também evitar as crises climáticas, no entanto, incapaz de controlar as catástrofes naturais.
É uma loucura e uma grande tolice crer na teoria explosiva do Big Bang que o “acaso”, feito como um deus, em bilhões de anos, tenha criado o Universo. É mais inteligente dizer o que nos diz a Bíblia: “No princípio criou Deus os céus e a terra” do nada, ao criar a matéria há aproximadamente 10.000 anos. Creio que haja mais cientistas criacionistas, do que evolucionistas, que provam ser realidade o Criacionismo. O renomado cientista Adauto Lourenço confirma isso em seu livro “Como Tudo Começou”. O Evolucionismo está casado com o ateísmo. Como crer num “acaso” que não é ninguém nem nada? O uso da ciência e da tecnologia sem o bom senso, nos dias atuais, tem se assemelhado à Torre de Babel. Deus impedirá o que o homem deseja fazer além da Sua vontade.
No utilizável para o bem da humanidade a inteligência artificial tem auxiliado a Medicina na arte de curar. Vejamos: o chatbot, chamado Nova, em forma de humanoide, com rosto que expressa emoção, poderá auxiliar o médico no diagnóstico dos casos ou mesmo manter uma conversa com os clientes, personalizada, porém sem possuir pessoalidade, e alimentada por um sistema do grande modelo de linguagem (LLM). Na realidade o “Dr. Google” da internet é limitado em suas informações, e a IA propõe oferecer melhores conhecimentos. Florence, um robô feminino criado pela OMS, Google e Amazon Web Services durante a pandemia de covid -19 para combater notícias falsas, sua base de conhecimento se expandiu e hoje abrange tabagismo, saúde mental e alimentação saudável.
A empresa alemã Ada Health oferece o chatbot Ada de verificação de sintomas com milhares de informações num banco de dados que favorecem o diagnóstico, e já tem 13 milhões de usuários. Uma abordagem mais segura seria os profissionais da saúde terem fontes de informações confiáveis através dos LLMs ( grandes modelos de linguagem), livres do risco de fake news, sendo de uso exclusivo da pesquisa médica e vedadas ao público que já possui informações pelo “Dr. Google” na internet. Um estudo descobriu que pessoas que fizeram perguntas sobre saúde preferiram as respostas do ChatGPT às dos profissionais licenciados, tanto pela qualidade quanto pela empatia que tiveram com esses modelos de informação, porém, a máquina de um desses sistemas não pode oferecer a empatia de um interlocutor humano. O humanoide criado pelo homem nunca poderá substituir o homem criado por Deus.

Tags:
Dr. Mauro Jordão é médico ginecologista.

0 Comentários

Deixe um comentário

CLIQUE ABAIXO PARA LER A EDIÇÃO

SIGA A OPINIÃO NAS REDES SOCIAIS

INSTAGRAM

APOIO