quarta-feira, 17 julho, 2024
Dádivas de Deus

Por isso, vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e a quem bate, abrir-se-lhe-á. Qual dentre vós é o pai que, se o filho lhe pedir [pão, lhe dará uma pedra? Ou se pedir] um peixe, lhe dará em lugar de peixe uma cobra? Ou, se lhe pedir um ovo lhe dará um escorpião? Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” Lc 11: 9-13.
Jesus não nos promete uma vida sem aflições: essas fazem parte do cotidiano do ser humano. Ao contrário, Ele disse: “No mundo passais por aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.
” Jo 16: 33b.
Ocorre que, por outro lado, o mesmo Jesus nos incita a orar, e destaca três atitudes que devemos ter diante de Deus, que Ele, conforme a Sua santa vontade nos atenderá.
A primeira é pedir: todos nós necessitamos de muitas coisas, desde as mais elementares até soluções para questões complexas, mas o problema muitas vezes, é que não conseguimos êxito no nosso procedimento porque queremos resolver tais questões sozinhos, sem a ajuda de Deus. Aí é que erramos, pois somos incapazes, e precisamos da bênção do Altíssimo para suprir nossas necessidades, incluindo as corriqueiras, quanto mais, as de difícil enfrentamento. O que fazer, então? Pedir a Deus! Se pedimos, conhecendo o caráter e a vontade dEle, Ele nos concede. Esta é a primeira dádiva que Jesus elenca nesse pequeno trecho do evangelho de Lucas.
A segunda é buscar: sempre estamos buscando alguma coisa. Seja um bom marido, uma boa esposa, um bom emprego, uma boa casa. O problema é que diversas vezes, idealizamos aquilo que buscamos e não abrimos mão desse ideal: tem que ser o homem perfeito, o emprego ou a casa dos sonhos, e nessa busca nos perdemos porque nunca encontraremos algo perfeito, assim. Devemos, antes, olhar para nós mesmos, reconhecer os próprios defeitos, e, considerando-os, almejar algo que seja compatível com o nosso ser, como um todo. Se tivermos essa dimensão, Deus nos concederá; é o que promete Jesus.
A terceira é bater: quantas vezes temos deixado de bater, e, obviamente, a porta que está à nossa frente não abre. Precisamos, nesse sentido, ser audaciosos, e se necessitamos adentrar em algum caminho cuja porta está diante de nós, ter coragem e bater. A promessa de Cristo é a de que a porta vai-se abrir. Também, precisamos ser cautelosos para não bater em portas erradas, pois Deus quer que seus filhos conheçam a Sua vontade e, portanto, procurem viver de acordo com ela.
Enfim, você pode estar em diversas situações enquanto lê este texto: tranquilo, com saúde e com a vida bem, ou com problemas e angustiado, porém, saiba que Deus é bondoso e oferece boas dádivas a seus filhos. Então, não deixe de pedir, buscar e bater à porta, sempre que a necessidade lhe vier.

Leonel Zeferino é empresário.

0 Comentários

Deixe um comentário

CLIQUE ABAIXO PARA LER A EDIÇÃO

SIGA A OPINIÃO NAS REDES SOCIAIS

INSTAGRAM

APOIO