sábado, 24 fevereiro, 2024
Jesus é mais!

O desejo apressado de se envolver com os festejos consumistas do Natal faz o homem, criado à imagem de Deus, se esquecer de celebrar, em adoração e gratidão, o nascimento de Jesus, o Filho de Deus, o qual é o Autor da vida. Nossas crianças no fim do ano costumam fazer preces a um fantasioso velho barbudo e sorridente chamado Papai Noel que voa pelos ares com seu trenó puxado por renas a fim de entregar os presentes desejados; elas, porém, precisam confiar mais no Jesus real que as ama e deu Sua vida por elas.
Na primeira metade do século 20, Pablo Casals foi considerado o mais ilustre violoncelista de sua época. Em certa ocasião, estava ele tocando o seu instrumento quando um jovem repórter perguntou: “Senhor Casals, o senhor está com 95 anos de idade, é o maior violoncelista que já existiu, por que o senhor ainda estuda violoncelo seis horas por dia?” Ele respondeu: “Porque acho que estou fazendo progressos.” A busca de “ser mais” é que dinamiza a realização do aperfeiçoamento do nosso ideal. Tão perfeita foi a estátua de Moisés aos olhos, momentaneamente, alucinados de Michelangelo que este bateu nela com um martelo e gritou várias vezes: “Per ché non parli? (Porque não falas?)”.
Há uma escala de prioridades, lembre-se: a.- as coisas que você possui são “menos” importantes do que você; b.- as pessoas que te rodeiam são “tão” importantes quanto você; c.- Porém, Jesus é “mais” importante do que você e das coisas que você possui. Ele é Deus, Ele é dono da vida, Criador do Universo e da Terra. Desejo que Jesus seja “mais” em todos os anos da tua e da minha vida, e não se esqueça: “Deus resiste aos soberbos, contudo aos humildes concede a Sua graça. Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus… lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós” (I Pedro 5:5-7). Duas coisas são boas para aprender na escola de Deus: primeiro, a agenda Dele nunca está cheia, sempre disponível para conversar com você; segundo, pra Ele não há crise, a crise é humana e não divina. Jesus é a solução dos seus problemas.
Da modernidade para a pós-modernidade uma nova reinterpretação da moral e da sexualidade aconteceu diante dos nossos olhos enquanto debruçados na janela do tempo. A tendência atual, como por um rolo compressor, é de nivelar o bem e o mal num mesmo sentimento de igualdade, fazendo desaparecer do coração e da mente do ser humano a capacidade de discernir o certo do errado, tornando-o complacente com os desvios da ética e da moral herdadas do cristianismo.
Quando o homem se distancia de Deus ele pensa ser grande e Deus pequeno; porém, quando se aproxima de Deus sente ser nada diante da Sua grandeza, e se curva diante da Sua majestade. O irmão de estrada mandou escrever no parachoque do caminhão, com destaque: “Jesus é joia, o resto é bijuteria”. Na aparência, a maioria das pessoas busca ser pelo brilho efêmero das coisas que possui, mas não é. Muita gente se assemelha à bijuteria, brilha só por fora. Jesus nos deu o exemplo de si mesmo, as suas qualificações sempre foram superlativas. Jesus é mais!
Jesus é a joia mais valiosa que Deus deu de presente a nós no Natal; infelizmente, a maioria tem voltado às costas para Ele. Estes já perderam o caminho da verdade que leva à vida, e esquecem que ninguém vem ao Pai senão por Jesus. A missão primordial de Jesus ao vir ao mundo, pela cruz, é justificar o homem, que crê, dos seus pecados e lhe dar a salvação eterna no céu com Cristo. Ele na cruz pagou um preço alto por cada um de nós, somos servos queiramos ou não desse grande Salvador e Senhor. Graça é a palavra usada mais de 170 vezes no Novo Testamento, anunciando o favor divino imerecido.
Deus em sua misericórdia derrama sua “graça comum” a toda humanidade, sol e chuva tanto a ímpios como a justos. O verdadeiro cristão recebe, além da “graça comum”, a “graça salvadora” de Deus por ser filho, e não apenas criatura, através da suficiente Graça do Nosso Senhor Jesus Cristo.

Dr. Mauro Jordão é médico ginecologista.

0 Comentários

Deixe um comentário

CLIQUE ABAIXO PARA LER A EDIÇÃO

SIGA A OPINIÃO NAS REDES SOCIAIS

INSTAGRAM

APOIO