sexta-feira, 12 abril, 2024
Técnicas avançadas para diagnóstico e tratamento do câncer de pele na Clínica Jacob
Dra. Carolina Brito Jacob


O câncer de pele é uma das formas mais comuns de câncer em todo o mundo, sendo a exposição excessiva e desprotegida ao sol a principal causa desse diagnóstico. Apesar disso, técnicas inovadoras de dermatologia oncológica possibilitam identificar a doença em suas fases iniciais, antecipando o tratamento e apontando perspectivas favoráveis para a cura. A Clínica Jacob é referência nessa área, porque conta com uma equipe de dermatologia altamente qualificada, além de equipamentos avançados de Dermatoscopia Digital.
Segundo Dra. Carolina Jacob, que é médica dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (CRM 112.541/RQE 34.827) e responsável técnica pela Clínica Jacob, os carcinomas basocelular e espinocelular correspondem a 95% dos cânceres de pele: “Em geral, eles se manifestam como pequenas feridas que sangram facilmente e não cicatrizam ou como asperezas na pele (tipo “verruga”). Não costumam doer, mesmo em fases mais avançadas”.
O melanoma é o tipo de câncer menos frequente na população (5%), porém, tende a ser o mais agressivo. “Ele se origina a partir dos melanócitos, que são as células responsáveis pela produção do pigmento (melanina) que dá cor à pele, por isso costumam se manifestar como pintas de cor escura (negro ou castanho)”, destaca a médica.
Segundo ela, estimativas apontam que, no Brasil, mais de 1.500 mortes por ano são provocadas pelo melanoma avançado (ou metastático) e a exposição excessiva à radiação solar ultravioleta (UV) A e B é o principal fator de risco. O tratamento nessas situações é sempre cirúrgico e, dependendo da gravidade, pode haver necessidade de retirada de lifonodos, quimioterapia e radioterapia.
Há ainda a Queratose Actínica, uma lesão que pode levar ao câncer. Ela se baseia em lesões pré-malígnas (que apresentam alto risco de se transformar em câncer com o tempo) e que são cada vez mais frequentes na população. A médica aponta que cerca de metade dos carcinomas espinocelulares diagnosticados surgem a partir de queratoses actínicas não tratadas. O tratamento, nesse caso, pode ser feito com crioterapia, eletrocauterização ou cauterização química e, em algumas vezes, remoção cirúrgica.
Dra. Carolina alerta que o protetor solar deve ser um parceiro inseparável de cada um, assim como outras formas de proteção, todos os dias do ano, em todas as fases da vida, a começar pelas crianças: “Na infância e na adolescência, quando as células estão em formação, devemos ser bem rigorosos com relação à fotoproteção da pele. Nessa fase, a irradiação solar pode provocar mudanças nessa formação, o que na fase adulta pode se manifestar como câncer de pele”. Além disso, é preciso ficar muito atento com relação aos grupos de risco: história de queimadura solar (principalmente com bolhas); bronzeamento artificial; mais de 50 pintas; pele clara, cabelos claros, olhos claros; mais de 65 anos; muitas sardas; histórico de câncer de pele pessoal ou familiar.


Tecnologias avançadas
Na clínica Jacob, pessoas com grande número de pintas e com histórico familiar de melanoma ou outros tipos de câncer de pele têm indicação de realizar um Mapeamento de Nevos. Trata-se de um exame avançado que associa a dermatoscopia à fotografia digital, permitindo o acompanhamento das lesões a longo prazo e contribuindo com o diagnóstico precoce. O exame utiliza uma técnica não invasiva e não dolorosa, podendo ser feito, inclusive, em crianças e gestantes.
“Na dermatoscopia digital, utilizamos um aparelho de aumento de imagem e fotografia (FotoFinder®) que nos permite a visualização de estruturas no interior da pinta, o que não conseguimos ver a olho nu ou com uma lente simples de aumento”, detalha Dra. Carolina. Por meio dessa tecnologia, são feitas fotos do corpo inteiro do paciente e, em seguida, fotos em profundidade de cada pinta. Se faz a análise de todas as pintas, classificando-as como de alto, médio ou baixo risco para câncer de pele. Pintas com alto risco são retiradas no próprio consultório; as de médio risco passam a ser acompanhadas a cada 3 ou 6 meses, dependendo da pinta; as de baixo risco são acompanhadas ano a ano.
O Mapeamento de Nevos tem como principais vantagens: pré-avaliação de malignidade de lesões de pele; mapeamento e monitoramento da evolução de nevos em todas as regiões do corpo; além de acompanhamento e possibilidade de diagnóstico precoce. Devem fazer o exame, especialmente: pessoas com histórico familiar de melanoma; pessoas que já tiveram melanoma ou pintas com risco para câncer de pele (nevo displástico); pessoas com mais de 50 pintas, e pessoas com alto risco para câncer de pele.
O autoexame também é fundamental e deve ser realizado regularmente. Além disso, é recomendado fazer uma consulta com dermatologista, no mínimo uma vez por ano, principalmente, em casos de: manchas que coçam, descamam e/ou sangram; feridas que não cicatrizam mesmo depois de um mês; sinais ou pintas que mudam de tamanho e/ou cor.

Clínica Jacob
Sob a supervisão e o acompanhamento direto da Dra. Carolina Jacob, a clínica faz o tratamento clínico de todas as doenças de pele, unhas, cabelos e couro cabeludo, além de cirurgias. Todo o corpo médico é formado por profissionais com residência médica em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e com registro de especialidade na área. Profissionais não médicos que atuam na clínica, como enfermeiras e podólogas, por exemplo, contam com curso superior na área.

Mais informações
Endereço: R. Frederico Straube, 512, Mogi das Cruzes (SP)
Whatsapp: (11) 9 3934-5009 / (11) 96310-6259
Tel.: (11) 3508-4436 / (11) 4799-8531
Instagram: @clinicajacob_ /@dra.carolinajacob

Tags: ,

0 Comentários

Deixe um comentário

CLIQUE ABAIXO PARA LER A EDIÇÃO

SIGA A OPINIÃO NAS REDES SOCIAIS

INSTAGRAM

APOIO